Escola de Música Tom Maior
  • AREA DO ALUNO

14 Aug /2020

Escalas Maiores

Para começar a falar de Escalas Maiores, primeiro precisamos entender o que é uma escala diatônica. Escala Diatônica é uma sequência de sete notas com cinco intervalos de tons e dois intervalos de semitom entre as notas. Já falamos anteriormente sobre o que é um intervalo musical e como eles se caracterizam. Este padrâo se repete a cada oito notas, numa sequência tonal específica. As escalas modernas Maior e Menor são diatônicas, caracterizando o modelo ocidental de música, fazendo parte da tradição da música européia. As escalas Maior e Menor são diatônicas, assim como todos os sete modos tonais utilizados atualmente. 

Na Era Medieval e no começo da Renascença, existiam sete modos liturgicos (ou modos gregos), que eram formas de organizar os sons, que se caracterizavam de acordo com as tradições culturais e estéticas de cada uma das regiôes da Grécia Antiga. Assim, cada região da antiga Grécia deu origem a um modo próprio e que adaptou a denominação de cada região respectiva, surgindo assim o modo Dórico (Dória), Frígio (da região da Frígia), o modo Lídio (da Lídia), o modo Jônio (da região da Jónia) e o modo Eólio (da Eólia), e uma mistura dos modos lídio e dórico foi denominado como Mixolídio. Seguiremos esse assunto em outro post exclusivo para os modos gregos. As escalas que hoje são conhecidas como Maior e Menor, na Era Medieval e começo da Renasncença eram os modos Jônio e Eólio, respectivamente. 

Agora sim! Escala maior é uma escala diatônica de sete notas em modo maior, um dos modos musicais utilizados atualmente na música tonal. A sequência de tons e semitons dessa escala obedece à seguinte ordem:

Tom - Tom - Semitom - Tom - Tom - Tom - Semitom

Então, a partir da escala maior é que são formados os acordes maiores. A escala fundamental do modo maior é a escala de Dó Maior, tendo vista que a relação de intervalos desse modo pode ser obtida nesta escala sem a necessidade de nenhuma alteração de altura. Abaixo temos a sequência de intervalos e seus tons ou semitons. 

    mi     sol     si  
  V   V   V   V   V   V   V
  tom   tom   semitom   tom   tom   tom   semitom

Para formar escalas maiores iniciadas por outras notas é necessário acrescentar alterações de altura a algumas notas, a fim de manter a mesma sequência de intervalos. Em uma escala de Sol Maior, por exemplo, para seguir os intervalos base da escala maior, as notas serão:

sol     si       mi   fá#   sol
  V   V   V   V   V   V   V
  tom   tom   semitom   tom   tom   tom   semitom

A nota fá não pode ser utilizada nesta sequência pois o intervalo entre mi e fá é de um semitom e entre fá e sol é de um tom. Para que a escala obedeça à ordem dos intervalos é preciso aumentar a nota fá em meio tom e torná-la um fá susternido (fá#). Em outras escalas, para manter a relação de intervalos, é necessário reduzir a altura de algumas notas em meio tom (bemol). O ciclo das quintas define a ordem em que os sustenidos ou bemóis são adicionados às escalas, mas esse também é assuto para um post a parte!

Com a base da escala maior, é possível montar qualquer escala maior, desde que se adicione as alterações necessárias para que a escala permaneça dentro da forma!

  • Voltar
  • Compartilhe